O que é isto?

Quer saber quando este blog é actualizado?

merda no sapato: Dezembro 2004

domingo, dezembro 12, 2004

Ya "tá bem", mas já se calavam, não?!

Artigo de opinião


Este domingo fiz algo inédito no decorrer destes últimos anos, acordei de manhã. "Estranho" - pensará quem porventura me conhecerá melhor. Mas é de facto verdade, eu acordei antes mesmo das 10 horas, eram sensívelmente nove e meia já eu estava desperto.
Ora, como seria de esperar não havia nada para fazer a não ser ver televisão, é que num domingo antes das 10 horas as pessoas que geralmente estão acordadas ou são estúpidas, ou trabalham, ou então simplesmente enganaram-se no dia da semana.
Creio que não me enquadro em nenhuma destas situações, apesar de já há algum tempo ser estúpido, esse factor desta vez não teve qualquer influência de maior.
Como devem saber realizava-se hoje em Tóquio a Final da Taça Intercontinental de clubes, que este ano para o orgulho dos portugueses, punha frente-a-frente o F.C. Porto e uma equipa de não-toxicodependentes da cidade de Caldas na Colômbia, o "Once Caldas".
Apesar de não ser adepto do Porto e não ligar ultimamente muito ao futebol, a ansiedade era grande, faltando cerca de 40 minutos para o jogo, sem nada de relevante e que me entretesse realmente, tive obrigatoriamente de "fazer tempo" até que soásse o apito inicial, recostei-me no sofá e peguei no comando. Foi então que, e quase instintivamente, ao mover os dedos nesse extenuoso execício que é o zapping, me deparei com algo no mínimo comovente, era de facto de ir ás lágrimas,
recordo-me perfeitamente, 9h:30, ao pulsar a tecla 3 do comando da minha caixinha mágica dei de caras com a inconfundível imagem desse senhor que dá pelo nome de Paulo Portas... tecla 3, Paulo Portas... e dizem que não há uma força poderosa e oculta na origem de todos os acontecimentos... Enfim, nada que eu não estivesse á espera, comentava na altura a demissão do nosso futuro ex-primeiro-ministro. Eu cá concordo com o que disse, pelo menos em relação ás coisas das quais partilhamos a mesma opinião, pena o facto de não ter ouvido uma única palavra pois mudei de imediato de canal, mas ficará certamente para a próxima.
A partir daqui as coisas infelimente começaram a piorar, com a pressa mudei precipitadamente para a RTP1, naquela altura emitia "A Eucaristia Dominical". Meu Deus! Eu até estava bem disposto, mas que raio de forma de começar o dia! Aquilo não augurava nada de bom. Para além do irritante sotaque ribatejano no monótono discurso do pároco, ele só era interrompido quando o coro cantava. Deixei-me ficar a apreciar, já não via algo tão estranho desde que me tinha ido ver ao espelho um quarto de hora antes, os elementos do grupo coral pareciam mais mortos do que própriamente vivos. Todos tinham aquela típica cara de "Porra! Se eu apanho o tipo que me inscreveu nesta porcaria enfio-lhe a hóstia pelo sítio por onde ela supostamente deveria sair!". As músicas, essas, eram capazes de incomodar o mais surdo dos surdos, para além da irritante melodia, as vozes dos elementos no seu todo mais faziam lembrar um grupo de clones de Mónicas Sintras e Josés Malhoas a cantar em simultâneo. E isto se estivessem roucos.
Confesso que me faz um pouco confusão ver na televisão pública
celebrações religiosas, por mais maioritária que essa religião seja não faz qualquer tipo de sentido, é estar práticamente a publicitar um culto, é estar a marginalizar as demais. Alguém já viu na TV portuguesa celebrações judaicas, budistas ou muçulmanas? Presumo que a resposta seja - não!
Mais: Alguém já viu nalgum canal estrangeiro, não considerando obviamente os canais árabes, emissões de Missas dominicais?
Eu não.
É o país que temos. A manhã acabou por não correr tão mal quanto isso, vá lá, Santana Lopes já não estava no governo, Saddham Hussein continuava a ser torturado na prisão e o Porto ganhou, levando pela segunda vez o troféu para casa.
Ainda tive tempo de ver algo que jamais me esquecerei, nunca vi tantos Colombianos agarrados ao chão chorando, pelo menos no Japão, que na Colômbia a história já é diferente, mas falaremos disto das drogas e da capital Bogotá num outro dia.

quarta-feira, dezembro 08, 2004

Notícia TVI / Merda no sapato

Após a recolha de assustadores relatos, que certamente dariam para um argumento de um episódio do X-File, provenientes da população de Rovaniemi na Finlândia, a TVI e o Merda no Sapato levaram a cabo uma investigação com resultados no mínimo surpreendentes e reveladores.
A casa do Pai Natal está assombrada, existem no seu interior inúmeros seres sobrenaturais, desde espíritos e fantasmas, zombies e até mesmo o próprio Tino de Rãs.
S. Nicolau vive em agonia há já um longo período de tempo, apesar estar habituado, não raras vezes apanha sustos que práticamente o paralizam.
As coisas agravaram-se principalmente desde a altura em que fora adoptado com a idade de sete anos por um casal de castores amestrados, amamentados á nascença por uma vaca antes da realização da sua operação cirúgica para a troca de sexo. Esta vaca que, a partir de então e até ao momento do seu abatimento, passou a ser boi, é uma das inúmeras entidades que, hoje em dia, fazem aparições, sob a forma de fantasmas, na misteriosa mansão.
Sabe-se também, de fonte segura, que este mesmo boi é prima afastado de Paula Coelho uma dos ex-participantes da Quinta das Celebridades, onde Alexandre Frota se encontra neste momento sentado no sofá e a respirar.

terça-feira, dezembro 07, 2004

Descubra o perfil do novo

primeiro-ministro português.

O Parlamento Europeu, após ter tomado conhecimento dos acontecimentos registados no nosso país, decretou oficialmente a criação de um comité para o estudo da nomeação do político que ocupará futuramente o cargo de primeiro-ministro. Este comité, cuja chefia foi executada por José Manuel Durão Barroso e teve a aprovação de Jorge Sampaio, decretou ontem, após uma criteriosa escolha dos canditados, que o posto máximo do governo nacional será ocupado por um elemento que até há bem pouco tempo não tinha tido qualquer tipo de registo na vida activa política em Portugal.
É de salutar a coragem na escolha de uma injecção de sangue novo no nosso governo, de salutar mais ainda a escolha de alguém tão jovem e inexperiente. Foi de facto uma surpresa, uma verdadeira revelação.
O seu nome é Alfredo, Alfredo é um chimpanzé com 14 anos de idade, proveniente do zoo de Lisboa, destacou-se dos demais concorrentes essencialmente pelo melhor resultado apresentado nos testes de QI, para além disso, segundo Aznar, é de todos aquele que apresenta melhores aptiões ao nível admnistrativo, social-cultural e económico, "certamente uma mais valia para Portugal".
Não estando afiliado em qualquer partido ou qualquer grupo político tem, no entanto, a singular vantagem de possuir um bom conhecimento em relação a esse fruto que é a banana , ora estando nós numa républica das bananas é algo a assinalar.
Comparativamente a Santana Lopes, com excepção obviamente dos pêlos capilares, é bastante mais dotado e adequado para o exercício desta função, apesar de não possuir a mesma experiência, tudo o que fez, ao contrário do seu antecessor, fê-lo até ao fim:
Enquanto que Santana Lopes nos deixava únicamente com os cabelos em pé, não houve uma única vez em que Alfredo ao tentar puxar os cabelos, de uma senhora que o tentásse alimentar, não os tenha arrancado até ao fim. Sempre que apanhava pelo caminho uma fêmea a coisa ia até vias de facto, enquanto que Santana Lopes ia alternando, "um bocadinho aqui, um bocadinho acolá".
Apesar de não ser tão conhecido no seio do grande público e não ter participado em nenhum programa televisivo Alfredo tem uma vasta experiência com multidões, ele era inclusivamente o centro das atenções de inúmeros espectáculos, nomeadamente no Circo Chen onde trabalhou até á idade dos sete anos.
Ao passo que Santana gosta de mediatismo Alfredo muito pelo contrário detesta, quis inclusivamente prová-lo ao recusar responder ás nossas perguntas dando-nos de seguida um portentoso soco, tendo nós sido transportádos para o Hospital S. João, onde nos encontrámos neste momento.

sábado, dezembro 04, 2004

Trolls do universo juntam-se

e conquistam Lisboa

Esta madrugada, um exército composto por mais de seis trolls, conquistou a capital portuguesa, naquela que certamente ficará conhecida como "uma das mais sangrentas batalhas da história da humanidade entre as 05:30 e as 06:35 do dia 4 de Dezembro do ano de 2004".
O grupo denominado Trolls do Unverso Unido, formado por seis elementos completamente desconhecidos e por um outro troll, que se mantinha já há bastante tempo infiltrado no nosso país "vindo-se", descobrimos, a disfarçar através de um corpo que dava pelo nome de Santana Lopes.
Contrariamente ao que o grupo terrorista esperava, não tiveram de enfrentar qualquer tipo de dificuldade em completar a sua missão. Na verdade e fazendo crer nas palavras do porta-voz do grupo a tarefa até lhes foi em larga medida facilitada, porque a Polícia Judíciária se encontrava, na altura, num jantar de convívio no restaurante do Elefante Branco, establecimento esse diga-se de passagem bastante reputado pela sua excelente variedade de comida brasileira.
A invasão essa foi rápida e eficaz. Tendo portentosas armas de destuição massiça, como gravações em K7 dos discursos presidenciais de Jorge Sampaio, fotografias em tamanho A3 de José Cid e José Malhoa na sua posse, apenas demoraria uma questão de segundos até controlarem quase a totalidade da cidade.
A população obviamente amedrontada refugia-se neste momento em suas casas tentando acalmar-se ao apreciar em família os melhores momentos televisivos da TVI, que ocorrem naturalmente entre o fim e o recomeço dos programas.
Santa Lopes, como formalmente é conhecido, vinga-se deste modo da melhor forma de Jorge Sampaio, voltando à sua ruinosa gestão e admnistração de Lisboa, onde planeia já construir um casino, reestruturar o Parque Mayer, acabar com as zonas degradadas de Lisboa e acolher os Jogos Olímpicos, ainda antes mesmo que a luz solar se apague.
Por seu lado, o ministro da defesa, Paulo Portas, confrontando com a situação e com a hipotética perda de soberania da nossa maior cidade preferiu manter a calma, revelando inclusivé, uma estranha segurança e confiança na resolução do caso, "Tenham calma minha gente, ainda é muito cedo para falar! Vamos esperar que os dois submarinos estejam terminados e logo se vê. Caso não sejam suficientes,compram-se mais dois!".
De facto,a calma estes comentários formam bastante estranhados, principalmente por parte da comunicação social, mas este supreendentemente reagia sempre calma e serenamente. Mesmo perante a questão "Mas isso não tem nada a ver moço! És muita estúpido! Burro do caralho, achas mesmo que isso é verdade, não vemos que fomos nós que inventámos oh cromo! És muito otário! Já alguma vez pensaste em deitar-te ao lixo?" insistiu "É ter calma, vamos esperar pelos submarinos! Temos de partir daí, depois, claro, introduziremos as adequadas reformas nas escolas para que os estudantes elevem o seu patriotismo, estudando mais aprofundadamente a História do nosso país e cantando o hino por exemplo. Numa fase final proceder-se-á a uma escolha das pessoas com melhores aptidões, tendo em vista a formação de um exército capaz e competente, de forma a repôr a união de Portugal e restaurar a independência da nossa querida Lisboa".
Ao que nos foi dado a saber o processo de escolha, que deverá ocorrer em 2006, terá por base estudos físicos, psico-técnicos e uma rastreação dos candidatos com o melhor DNA. Para isso foi já, inclusivamente, contactada Elsa Raposo, que bondosamente se disponibilizou com a sua contribuição. Ela ajudará a formar uma base de dados do DNA de pelo menos 70% da população masculina nacional, através da análise de sémen contida no seu orgão genital.
Deste modo e tendo em conta a superioridade da raça lusitana e por base o estudo de Darwin da selecção natural das espécies , encontrar-se-á, segundo Portas, um batalhão invencível, que com a colaboração de imigrantes ucranianos, dos PALOP e da minoria cigana na construcção de material militar, se retomará o pleno equilíbrio do país e a retoma do regime fascista pós-fascista, surgido depois do 25 de Abril de 1974, anteriormente vigente.
Antecedendo esta grande vitória do país, e apesar do pessimismo revelado pelo velho do Restelo, cantores como Nel Monteiro e Tony Carreira, já preparam singles a editar no próximo trabalho discográfico que exaltem a força do povo português e a retoma da falsa liberdade. Serão eles "Grândola Cidade Pequena", " A gaivota de Bruxelas e o Cherne" e "Venham mais cinco primeiros ministros não eleitos"