O que é isto?

Quer saber quando este blog é actualizado?

merda no sapato: Novembro 2006

segunda-feira, novembro 27, 2006

Mundus Horribilis

Rezam-se orações aos porcos.
Ratazanas percorrem esgotos,
roem corpos jazidos, almas defuntas,
mijam-lhes em cima e chamam-lhes putas.

Um cheiro nauseabundo, uma diarreia sentimental
se espalha, é só ver bolorentos olhos impestados com crude,
sanguessugas sugarem o sangue podre da virtude.
Malogrado destino, estrume do mal, Judas consome o beijo fatal.

Vitrais partidos, vandalizados,
ossos mórbidos e amontoados.
Escaravelhos, baratas passeiam caveiras,
cruzes avessas nos altos das Igrejas.

Mundo Cruel
Junta-se o excremento e o mel
na mesma caldeira
serve-se á mesa. Ultima Ceia. Caganeira.

Eva serve a Adão o fruto proíbido,
fuma umas ganzas, está todo fodido!
Olha em volta, ópio
mãe da revolta, geradora do ódio!

Verdade:
crime, cancro da sociedade.
Amordaçadas caem já pesadas as carcaças do fútil lutar.
(Lá No alto uma nuvem esconde o luar.)

Olhar cruel, Belzebu!
A merda chega já á cidade,
indiferente só dizes para levármos no cu!
Nós próprios construimos a realidade.

Fim, juizo final
Castrador do nefasto, do ruim e do mal.
Devastação,
Salvação!

Ponto de Interrogação.

TVI Darwinista

Ora, se os modelos dão cantores, os cantores dão actores, e logo apresentadores. Para além disso, se os actores dão apresentadores, vão, necessariamente, dar escritores e logo guionistas. Pois, mas, se os escritores dão guionistas, também dão realizadores, e depois produtores, e os produtores empresários e os empresários, multi-milionários dos media, e como os multi-milionários portugueses vendem as empresas para Espanha de modo a ficarem ultra-milionários, de Espanha são vendidas para a França, e da França para a Inglaterra e da Inglaterra para a Alemanha e da Alemanha para os Estados Unidos, até que um dia vão parar às mãos da Exxon ou de algum antigo membro da Skull & Bones. Força Angélico, a partir de agora estou contigo! O céu é o limite!

domingo, novembro 26, 2006

O Crime não compensa


Este vídeo é real, e o seu interveniente realmente estúpido.

terça-feira, novembro 21, 2006

Os dias e as ironias

- Antes de a China e a Índia, previsíveis futuras potências mundiais, se interpelarem na antiga colónia britânica, de forma a debaterem parcerias, os presidentes dos EUA e da Rússia, inimigos na altura da Guerra Fria, reúnem-se com os congéneres asiáticos para negociar uma aliança no plano económico.

- George W. Bush é obrigado a usar, na cimeira Ásia Pacífico, o traje típico do Vietname, único país com quem os EUA perderam claramente uma guerra.

- Apesar, da derrota do partido Republicano de Bush nas eleições para o Congresso, devido à política no Iraque, e, apesar de a maioria dos Americanos acharem que o exército se deve retirar do Médio Oriente, o presidente Americano reforça mais a presença na região.

- José Veiga, a exemplo de Vale e Azevedo, também ex-presidente da SAD do Benfica, é suspeito de burla e evasão fiscal.

- Estado Português continua a cobrar juros sobre impostos fiscais em dívida, porém atrasa-se nos pagamentos de subsídios e nos retornos de erros do fisco, sem que seja cobrado da mesma forma.

- São cobradas multas por excesso de velocidade, devido a falhas por parte da brigada de trânsito e do sistema informático usado pela DGV. Muitos condutores já haviam vendidos os carros, na altura do suposto crime.

- António Ramos, presidente do sindicato da polícia, diz que o governo lhe montou uma perseguição...

"Define-me ironia!"

- pede-me Pedro, olhos claros, ingénuo. - "Então, ironia é quando acontece exactamente o que estavas à espera mas, no entanto, o efeito em ti causado é exactamente o inverso" - "Como assim? Sê mais concreto!" - retorque insistentemente - "É como o que está a acontecer agora, Pedro... - respondo-lhe, simpático - "Agora?" - "Sim, agora! Apesar de teres andado com a minha ex-namorada, eu continuo a ser simpático contigo e a ser teu amigo. É algo difícil de acontecer. É tipo metafísica, entendes?" - "Pois, estou a ver, Stephane..." - atira sorrindo, antes de entrar no carro e ir pelos ares por causa de um engenho explosivo.

Sexo

Há uns dias um amigo virou-se para mim e disse - "Epá, não consigo deixar de pensar nela, é incrível! Porque é que é tão bom sentir aquela boca quente no meu pénis? Estou a ficar viciado pá, isto pode fazer-me mal! Achas que devo entregá-la outravez à loja de animais?". Eu, claro, meio a troçar meio hilariado, ri-me. O Fred, o meu amigo, ficou intrigado, mas pouco depois inquiriu-me perplexo - "Porque te estás a rir? Achas que não devia entregá-la de volta? Pois... o que é que eu ia fazer ao aquário. Não era?"

Saudades

Estou com saudades de ver Portugal a ganhar um evento. Sem desprezo para com os actuais campeões mundiais de algumas competições desportivas ou outras que se realizam no país, caso eles existam, mas de facto, o panorama está bastante sombrio e não vejo ningúem a fazer nada. Os Jogos Olimpicos têm sido fracassos atrás de fracassos e cada vez a motivação é menor para praticar desporto de alta competição. Já a indústria pornográfica, por sua vez, tem florescido pelo mundo fora, embora isso não tenha necessariamente a ver com o caso. Da forma como as coisas estão eu quase que não ficava surpreendido se Portugal não fosse sequer campeão, dentro de alguns anos, do que quer que seja, a nível nacional. E não por causa de uma eventual anexação por parte da Espanha, como pretendem alguns lusitanos e muitos dos nuestros hermanos. Não me refiro a isso. Mas este tema da anexação também é interessante - segundo uma sondagem realizada por um jornal espanhol, cerca de 6o% da população daquele país aceitaria de bom grado uma união ibérica, união ibérica essa que se deveria chamar Espanha e ter como capital Madrid. Interessante e inovador, sem dúvida. Muitos acreditam ainda que essa junção poderia ser benéfica para as duas partes, mas creio isso se deve ao facto de a sondagem, provavelmente ter sido realizada à porta de um hospital psiquiátrico.
Enfim, dizia eu que sinto saudades de ver Portugal a vencer algum evento... No entanto, a verdade, e isto é triste, conta-nos a história que sempre que vencemos hegemonicamente alguma competição (lembram-se dos Jogos sem fronteiras, lembram-se do hóquei em patins) estas ou cessam de existir ou entram em decadência. Os jogos sem fronteiras já nem sequer existem, o hóquei em patins subsiste mas só é televisionado em Portugal e Espanha. E o hóquei já foi o segundo desporto colectivo na Europa! Ora, os mais atentos ao desporto objectarão que a Eurosport já transmitira uma vez a competição europeia de selecções, mas isso só aconteceu, se bem me recordo, porque à última hora tiveram de cancelar, por falta de apoios publicitários, um concurso de beleza de dentaduras de cavalo... De qualquer das formas é triste perceber como funciona o mundo, perceber que basta um país pequeno tomar conta de um desporto, por um qualquer motivo, para este cessar ou entrar no mundo do esquecimento. Mas é a lei da vida. Já estou habituado, e é por isso, e vendo as coisas por esse prisma, que peço ao candidato português do próximo EuroFestival da Canção que ganhe aquilo para ver se o raio do programa acaba de uma vez por todas. Por amor de Deus! Já estou farto daquilo! Nhéc!

Pérolas raras

Mais uma pérola por parte dos bispos portugueses - a reprodução assistida é, e cito - "Infidelidade consentida". Com este tipo de declarações começa a não ter mal nenhum ser da Igreja Raeliana. Salvé Marcianos! Salvé Darth Vader! I am your son!

segunda-feira, novembro 20, 2006

Bush trajado à Vietnamita


Quando não os podes vencer junta-te a eles!

A lenta teoria de Darwin

Alexander Litvinenko, espião dissidente do FSB (antigo KGB), encontra-se em estado grave à cerca de duas semanas, depois de ter ingerido tálio, um metal tóxico usado para matar ratos.
Litvinenko era um enérgico contestante das políticas do presidente Vladimir Putin e investigava, até então, o assassínio da famosa jornalista Anna Politkovskaya, do jornal Nováya Gazeta.
O Russo fora envenenado em Picadilly Circus, numa altura em que jantava com um contacto que dizia ter informações acerca da morte da sua compatriota. A Scotland Yard está a estudar o caso e suspeita que tenha sido a FSB a cometer o crime.
Politkovskaya, morta a 7 de Outubro no elevador do prédio onde residia, era também uma aguerrida crítica do regime de Putin, principalmente no que se refere aos ataques na Tchetchénia. O assassínio fora bastante estranho e o mistério que o envolve ainda está por desvendar. Dizem os peritos.
Ora, eu cá não sou nenhum perito e não preciso de muito para ver o que se sucedeu.
Politkovskaya, para além de censurar abertamente o governo, descobriu algo que punha em causa a liderança do presidente Putin. Este por sua vez descobriu-o o que ela descobrira, antes que ela pudesse fazer alguma coisa, ordenando o FSB que a assassínasse. Já Alexander Litvinenko tivera a triste felicidade de ter conhecimento de que o governo Russo teve conhecimento do que Politkovskaya de tão grave havia descoberto... e advinhem? O resultado foi o mesmo.
Falam em liberdade de expressão. É uma expressão bonita, é uma expressão melodiosa e soa bem no ouvido. Soa a democracia. Eu acredito na liberdade de expressão, pelo menos para quem não é assassinado brutalmente antes de a omitir. Eu acredito na democracia. A democracia não é hipocrisia. Viva a Rússia e abaixo o Comunismo! O Comunismo é opressão das liberdades individuais, mas a democracia não! A democracia só existe no liberalismo! Viva o liberalismo! Viva a revolução Francesa! Abaixo os Jacobinos. Salvé burguesia aristocrática do petróleo, do Gás e do armamento! Salvé! Viva o dinheiro! Vivam os Americanos! Vivam os Russos! Abaixo à cortina de ferro! Os Soviéticos são maus mas os Capitalistas são bons! Vivam os milionários, vivam os bancários! Morte aos desprezados, fome aos esfomeados. Nós ficamos com 100 e vocês ficam com 1. Viva a Perestroika! Viva a paz da aliança do Norte! Vendam-se armas lá para baixo. Abaixo é o hemisfério Sul! Acima é o Hemisfério Norte. Vamos dar cabo da economia da China, roubar o petróleo no Iraque, monopolizar o gás da Rússia, comprar armas e matar gente. Vamos instalar fábricas capitalistas a pagar salários comunistas, não tem mal ser altrúista quando não se lhes paga mais que um prato de iscas!

Evolução? Darwin... por amor de Deus!

sábado, novembro 18, 2006

A difícil reconstrução do Iraque


O ópio do povo


Dizem que o futebol é o ópio do povo. Dizem também que não se deve misturar alcóol com drogas, principalmente alcóol etílico. Mas as pessoas continuam a não ouvir. Só espero é que este tipo não tenha ido conduzir. Caso contrário, paz à sua alma.

As Burkas

Segundo o Público o Governo Holandês, até agora conhecido, pela aceitação de costumes e hábitos alternativos, tais como as drogas leves e as casas de prostituição, prepara-se, ao exemplo do que os Britânicos fizeram nos seus hospitais, proíbir o uso de Burka. O que acontece desta feita é que esta restrição se alarga a todos os locais de carácter público.
Rita Verdonk, Ministra da Imigração Holandesa, afirma que
"É indesejável que o vestuário que cubra a cara - incluindo a burka - seja usado, por razões de ordem pública, de segurança e protecção dos cidadãos(...)De um ponto de vista da segurança, as pessoas devem ser sempre identificáveis e do ponto de vista da integração, pensamos que devem poder comunicar umas com as outras."
Ora, toda a gente sabe, que a melhor forma de integrar as comunidades é rejeitar, por princípio, todos os seus costumes, renengando as suas culturas. É bem melhor fumar haxe e andar alucinado com cogumelos do que andar vestido com uma Burka, pois isso sim é que perturba a segurança nacional. Numa Républica, como os Países Baixos e mesmo tendo em conta o acto bárbaro que é a imposição desta idumentária, ou esta tenda em forma de roupa, como quiserem, isto acontecer, só prova que o nosso mundo está de mal a pior. Não me surpreederei se houver uma reacção desagradável por parte da comunidade muçulmana internacional. E mais uma vez, não ficarei surpreendido se o ódio entre estas, tão antagónicas civilizações, despoletar mais ainda. O papel, supostamente demagógico que a Europa e os Estados Unidos querem dar ao resto do mundo, é o mesmo que Pavlov tencionava dar, quando na verdade, era o seu cão que o ensinava.
Em tempo de deixar andar, em tempo de "O conflito no Sudão não é um genocídio", pergunto-me a mim mesmo quem é que exerce neste mundo o papel de nos ensinar um pouco de ética. Pergunto-me quem nos quererá ensinar, de facto, o bem, e chego à conclusão que o Noddy, e o Clube Morangos não é assim tão mau quanto isso.
A civilização ocidental não tem qualquer tipo de direito de interferir na vida dos islâmicos, principalmente, como é o caso, eles nem sequer se queixam. Relembro que ninguém, pelo menos na Holanda, obriga as mulheres a usar a idumentária. Ou já as ouviram queixar-se? Espero estar enganado em relação às respercussões que isto pode ter, mas estima-se que só cinquenta mulheres as usam no país.

O Aborto

Toda a gente quer impôr as suas opiniões em relação ao aborto. Isto é, quem tem, de facto, uma opinião não estereotipada em relação a este tema.
Por isso cá vai a minha opinião:
Antes de votarem pensem se gostariam de nascer num lar onde não fossem desejados, numa casa com um salário de 350 Euros mensais em que passariam a vida a levar porrada, pensem se gostariam também de ter de alternar isso com estudos até ao nono ano numa escola de um bairro problemático, onde vos espetariam facas em tudo que era sítio.
E para quem pensa que ainda existe a solução dos orfanatos peço-lhes que se lembrem do Caso Casa Pia e das milhares de crianças que todos os anos não são adoptadas. Dizem que a vida é muito bonita, mas a vida só é muito bonita para quem não deseja a morte. Nem todos têm sorte.
O que eu penso é que em vez de haver um referendo sobre o aborto o governo deveria ter o bom-senso de acabar com as estúpidas burocracias da adopção e melhorar as condições dos orfanatos. Talvez aí fizesse sentido votar não, De qualquer forma começo a pensar que é bem menos doloroso, a partir de agora, para as mulheres, após os fechos das maternidades, procederem a um aborto, do que ter de viajar de avião até à maternidade mais próxima.
Alguns Bispos portugueses estão a ponderar contestar o poder soberano do país. Serei a única pessoa a julgar isto rídiculo? Mas quem é que eles pensam que são? Onde pensam eles que estão? Na Idade Média? Julgam que ainda tem o poder temporal? Por amor de Deus! A vontade da maioria é a vontade da sociedade e só a sociedade sabe determinar realmente o que é bom ou mau para ela. A Igreja, no entanto, acha-se no direito de atirar barbaridades para o ar e dizer que uma lei só faz sentido se esta fôr boa. A verdade é que estão com medo da livre opinião das pessoas, e através de um medo que tão bem sabem impôr tudo fazem para monopolizar, à sua vontade, as consciências. Senhores Bispos e que tal argumentos de verdade, para variar. Já não estamos na época da inquisição!

Fusão

Em entrevista à SIC, o presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, afirmou estar em plena sintonia com José Sócrates. De facto, como suspeitava, José Sócrates e Cavaco Silva, juntos só conseguem preencher um cérebro. Uma boa sorte para eles. E por favor não tentem resolver o problema num hospital estatal, pois nos tempos que correm, mais vale ser operado numa loja chinesa e depois ficar hospedado num hotel.

Rumo ao Futuro

Num tempo tão atribulado e dinâmico é natural acontecerem mudanças. O mundo já não é o mesmo, tal como as pessoas que dele fazem parte. Um exemplo notório é a nossa nova forma de encarar a sorte e a divindade, coisa que ganha um relevo incrível em Portugal, nomeadamente na classe média e baixa. Desde a recessão económica e a crise do Catolicismo, a maior parte das pessoas já não parece acreditar em Deus. As pessoas agora têm um novo Poderoso e Misericordioso e ele chama-se Euromilhões.

Casa da Misericórdia que sois tão boa, perdoai-nos as nossas fúteis despesas, perdoai-nos a falta de trabalho e o fraco nível educacional, e nos ajude a ganhar a lotaria, assim como os nossos associados. Amén!

Já lá vão três anos

Já lá vão três anos. Três anos como todos os outros. Três anos de evolução e regressão, de felicidades e de tristezas, três anos de conquistas e de derrotas, de glórias e humilhações. Cresci com este blog e este blog cresceu comigo. Estou mais maduro e mais culto. Já lá vão três anos. Espero que gostem do novo grafismo.

sábado, novembro 11, 2006

Vida de estudante

O pessoal gosta de ficar bêbado. Dado ao carácter saudável e revitalizante do alcóol ficar bêbado é como que um medicamento. Quem não gosta de uma boa jarda? Fica-se bem disposto, alegre, divertido, as gajas parecem todas boas e mesmo que vamos dormir com uma lata de sardinhas, de uma forma ou de outra, o sexo acaba por correr bem. Já me aconteceu acordar abraçado a uma playstation e vê-la estranhamente pintada de uma cor que não escura, e não tive vergonha disso! Eu não tenho vergonha disso. Falo no assunto porque vem aí a recepção ao caloiro, que neste caso provavelmente será a recepção das caloiras, se o meu quarto tiver espaço para muitas ao mesmo tempo. Depois, claro, masturbo-me compulsivamente. Não quero cá misturas.
Adoro esta altura do ano, adoro mesmo, parece época de acasalamento, adoro principalmente porque podemos sem pudor ser irresponsáveis e faltar às aulas. Não que eu vá muitas vezes às aula, eu odeio aulas, mas a recepção ao caloiro é quase a liberalização da baldice.
Antes há ainda a latada. Estou ansioso. Eu gosto de comparar a latada ao carnaval do Rio, só que neste caso, não há tantas gajas boas e em vez de estarem despidas estão vestidas, pintadas e provavelmente no chão. Já os carros alegóricos, em vez de pomposos, podiam muito bem vir de uma sucata de crianças da infantil viciadas em crack. Ah... e na Latada as pessoas não também fornicam nas esquinas. Tanto. Mas é fixe na mesma.